Aplicações


(1) Transporte de Sedimentos e erodibilidade de margens
A ação das ondas geradas pelo vento constitui-se no fator agressivo mais importante na promoção da erodibilidade de margens em lagos e reservatórios de barragens.


(2) Dimensionamento da crista de reservatórios de barragens
Segundo a American Society of Civil Engineers, em uma barragem de terra, a principal força destrutiva é dada pela ação de ondas em seu reservatório.


(3) Transporte aquaviário
O efeito do vento afeta as condições de navegabilidade. As ondas aumentam a resistência ao avanço e os esforços nas amarras dos comboios, podendo colocar em risco a segurança da navegação. A relação prejudicial entre campo de ondas e transporte hidroviário é intensificada quando o lago faz parte de rotas comerciais de navegação, levando a acidentes como colisões, desprendimento de chatas, deriva, emborcamento, encalhe e queda na água de tripulante ou passageiro. Somente na hidrovia Tietê-Paraná entre entre 1995 e 1998 foram registrados 101 acidentes  com 5 feridos graves e 13 vítimas fatais.


(4) Fazendas aquícolas
A seleção do local das fazendas aqüícolas bem como a distribuição das estruturas de cultivo tem como critério a qualidade da água, a direção dos ventos, ondas, correntezas e a profundidade. Estes parâmetros são de difícil obtenção e, caso não existam, toma-se como base informações passadas por moradores locais. A instalação e o posicionamento dos tanques-rede devem ser definidos por dois fatores principais: o acesso aos tanques, visando facilitar o manejo e as atividades diárias e a manutenção da qualidade da água afetada pela circulação hidrodinâmica e pelo fenômeno das ondas.


(5) Emissões de gás de efeito estufa
A amplitude da onda depende diretamente do Fetch, resultando diretamente na transferência de momentum do ar para a água. Esta transferência de momentum induz a formação de correntes e turbulência na camada superficial do lago/reservatório (epilímnio), interferindo no processo de transferência na camada aquática superior. Uma relação entre estes fatores pode colaborar para a quantificação de gases de efeito estufa emitida por reservatórios.


(6) Operações hidráulicas em reservatórios
A qualidade da operação hidráulica de um reservatório está intimamente ligada à qualidade da estimativa do seu nível médio. Este procedimento é dificultado porque a superfície de um reservatório não é horizontal e estática. Um reservatório real é permanentemente perturbado pela precipitação direta, pelas marés de vento (seiches), por ondas devido a variações das vazões e de modo mais freqüente, pela propagação de ondas provocadas pelo vento. De acordo com BUBA (2011), erros neste processo influenciam tanto o cálculo das afluências por balanço hídrico quanto a determinação das defluências resultantes dos processos de aplicação de regras operativas em sistemas de suporte de decisões. Portanto, a quantificação do efeito da onda incidente sobre o sensor de nível pode auxiliar na determinação mais precisa do volume do reservatório, melhorando a confiabilidade das operações hidráulicas.


(7) Estudos de ecossistemas aquáticos continentais
Em reservatórios a presença de macrófitas absorvem o impacto das ondas, reduzindo o processo erosivo nas margens e, conseqüentemente, a turbidez, que afeta a produtividade do corpo d'água e a viabilidade dos ovos de peixes. A dificuldade em determinar o padrão das ondas dificulta uma análise integrada visando relacionar a influência da ação destas ondas no ecossistema. A profundidade, por exemplo, impõe limites ao crescimento das plantas enraizadas, ao passo que as flutuantes ficam sujeitas ao vento e às ondas em áreas abertas, sendo a previsão do seu deslocamento na superfície do reservatório dificultada por constituir-se em estudos que exigem equipes multidisciplinares. Outros estudos constatam que o Fetch reflete o efeito potencial de ondas sobre as margens e estas, reconhecidamente, representam um fator estressante para a colonização e crescimento da vegetação. Alguns estudos atestam que o aumento do Fetch afeta negativamente a riqueza dos bancos de macrófitas.


(8) Influência das ondas na desestratificação  térmica de reservatórios